Últimas Notícias

O problema de ser viciado em séries...


Desde a minha adolescência eu acompanho várias séries, na verdade já estou meio que no estágio do vício em séries mesmo, e também já trouxe muitas pessoas para esse vício, o que é bom, a maioria dos meus amigos e amigas acompanham basicamente as mesmas séries que eu, então sempre chega um momento das conversas em que o assunto acaba enveredando para o tema.
Mas como quase tudo nessa vida, isso também tem seu lado ruim.
Um tempo atrás, uns amigos e eu estávamos num bar tomando umas e jogando papo fora, quando um deles, após citar algo que havia acontecido com ele, mencionou o fato de que foi muito triste na hora, não ser rico como o Richard Castle, da série policial Castle, seu atual vício, pois teria sido muito mais fácil para ter resolvido seu problema se fosse desse jeito.
Nisso notei o problema do vício em séries, às vezes, é decepcionante não ser como nossos personagens preferidos.
Eu mesmo, gostaria que minha turma fosse como a galera do How I Met Your Mother, sempre unida após o fim do expediente em seu bar predileto tomando umas, mas na vida real isso só acontece muito esporadicamente.
E por falar nessa série, qual homem, que quando solteiro, não gostaria de ter a vida sexual do Barney Stinson?
Outro exemplo, por várias vezes me deixei enganar por palavras de pessoas que sabiam bem mentir, mesmo olhando nos meus olhos, e nessa hora quis muito ter o talento de ler as pessoas que Patrick Jane, de The Mentalist, tinha, e quem sabe poder hipnotizá-las também, seria bem interessante.
Em outras ocasiões, essas mesmas pessoas que me enganaram ou iludiram, foram perdoadas, devido a minha péssima memória, e depois quando eu lembrava, eu pensava em como seria bom ter a memória eidética do Dr. Spencer Reid, de Criminal Minds, assim teriam ficado de castigo mais um tempo.
E na hora da raiva então? Muitas vezes quando fiquei nervoso por causa de alguém, com ódio mesmo, pensei em como seria bom ter o dom para cometer homicídios e não deixar pistas, como o Dexter Morgan, protagonista da série Dexter.
Ou quando estou trabalhando, eu até que sou bom com computadores, mas muitas vezes nesse ano já desejei ser como o Elliot Alderson, da série Mr. Robot, as coisas seriam bem mais fáceis, e menos softwares seriam xingados, e menos hardwares chutados.
E quando bate aquela depressão, pelo fato de a vida parecer estar fora dos trilhos, como se não tivéssemos controle sobre a nossa própria história? Seria legal ser o Henry Mills, da série Once Upon a Time, e ter aquela caneta mágica para ser o autor do nosso próprio conto, e nem precisa ser de fadas, não sendo uma piada de mal gosto, já está de bom tamanho.
Infelizmente nem tudo é perfeito, e até o inocente vício em séries tem seu lado desagradável, frustrante na verdade, mas se não dá para ser como nossos personagens, ao menos a gente pode se inspirar neles, ao menos nos bonzinhos, pois está na moda ultimamente torcer pelos vilões.
Estou pensando seriamente em começar a torcer pelos personagens mais normais possíveis, talvez azarados, aqueles que a gente assiste o desenrolar da história, e cada acontecimento a gente pensa, e até fala para a TV “Cara, eu te entendo bem!”, assim diminuo as expectativas e frustrações, e talvez até comece a pensar que as coisas nem são tão ruins assim.
E olha que nem citei muitos personagens com super poderes, apenas um na verdade, tentei ser o mais racional possível, me baseando no que seria cabível na vida real, exceto o exemplo do Henri Mills.
Na verdade, o primeiro personagem aqui citado, quase todos os dias eu penso em como seria legal ser como ele, afinal de contas, Richard Castle era um ótimo escritor.



Gill Nascimento

5 comentários:

  1. Que bom que vc voltou a escrever no blog, estava sentindo falta dos seus belos e divertidos textos. Também sou viciada em séries, depois da Netflix é bem difícil encontrar quem não seja. kkkkk

    atraidospelaleitura.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse vício é muito bom kkkkkk e sobre voltar, olha que legal, consegui trazer o Abiezer de volta ❤

      Excluir
  2. Eu me percebi uma pessoa viciada em series depois de ter assistido todos os episódios de Todo Mundo Odeia O Chris. Até gravei em DVD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me viciei antes mesmo da Netflix, Mega Filmes HD era o meu paraíso kkkkkkk

      Excluir
    2. Era só a porta para outras drogas. kkkkkkk

      Excluir

Deixe sua opinião sobre esse texto!