Últimas Notícias

Sexto Sentido

Mais um texto "Para Relembrar", sobre um daqueles dias que a gente sente que nada vai dar certo e ainda assim tem que sair da cama e cumprir com as obrigações, garanto que vocês vão se identificar!


Sexto Sentido
Não é todos os dias que a gente acorda preparado para o que está por vir, até porque a vida não avisa antes o que está para aprontar.
Tem dias que bate aquele sexto sentido, outros chamarão de intuição, o que importa é que surge te dizendo que é melhor não levantar da cama, porque vai dar merda, e tudo que você mais quer é escutar e acatar esse sentido.
Eu chamo de sexto sentido mesmo, aliás, sou fã do filme de mesmo nome. Lembram da cena épica do garoto encolhido em baixo do cobertor dizendo que via espíritos? É, da pra encaixar nesse caso, basta me imaginar encolhido no divã de um psiquiatra embaixo do meu próprio casaco, dizendo com voz de quem a qualquer momento vai chorar: “Minha vida é uma merda… Todo o tempo!”
Uma amiga minha diz que esse sexto sentido fala muito com ela, mas que na maioria das vezes é preguiça mesmo, por isso ela coloca uns remédios em cima do criado mudo, ao lado do despertador, remédios que sempre fazem ela levantar assim que acorda. Esses remédios são as suas contas pra pagar.
Mas exceto esses casos em que a preguiça tenta nos enganar, algumas vezes esse sexto sentido está com a razão.
Um dia desses, de manhã, meu sexto sentido falou comigo, disse que era melhor eu nem abrir os olhos, e pasmem, eu acredito nessas coisas.
Nesse dia eu pareci uma criança que apenas queria dormir mais 5 minutinhos antes de levantar e se arrumar pra ir pra escola.
Quando eu era uma criança de 10 anos que estava com preguiça de ir enfrentar a professora do ensino fundamental, era fácil, eu tinha uma mãe que me obrigava a fazer isso, uma mulher que detinha, e detém, todo o poder de decisão sobre minha vida, uma mulher que quando estava com um chinelo na mão, eu não conseguia imaginar nem o Chuck Norris tendo coragem de enfrentá-la.
O triste é você crescer e ter que bater de frente com a decepção de que, mesmo adulto e longe da sua mãe, você não tem poder algum sobre sua vida.
Tá aí o despertador que não me deixa mentir.
Nesse bendito dia em questão, ao acordar, tudo que eu mais queria era não ter um sexto sentido super protetor e, que não se preocupa se tenho ou não contas pra pagar.
Deu muito trabalho levantar da cama, até sair de casa foi um desfile de prós e contras aparecendo no meu caminho.
Logo que levantei já veio um contra, ao ir escovar os dentes e lavar o rosto, olho no espelho e vejo uma espinha escandalosa, na ponta do nariz. Não bastava ser uma espinha enorme, tinha que ser na ponta do nariz. Pensei: “Vou voltar pra cama”.
Quando já tinha decidido que ia me deitar novamente, resolvi ligar a TV, e então me aparece um jornalista que resolve falar sobre a inadimplência no país, a alta dos juros e a recessão. Me lembrei das minhas próprias contas. Não deu outra, pensei: “Melhor eu ir trabalhar”.
Já estava preparando meu café da manhã, quando o jornalista começou a falar do trânsito, então percebi que ia levar mais de 1 hora e meia para percorrer um trajeto de 20 minutos. Mudei de ideia novamente e pensei: “Agora sim eu volto pra cama”.
Quando estava dando aquela mordiscada da misericórdia no pãozinho de queijo, já me preparando pra tomar meu rumo pra cama, me aparece a Dilma no telejornal. Essa não precisou falar nada, tomei como aviso de que algo ruim estava por vir. Decidi: “O que são umas horinhas de trânsito? Vou trabalhar!”.
Já estava colocando a mochila nas costas e pegando a chave do carro, quando me chegou mensagem no Whatsapp, de uma colega perguntando sobre uns papéis e acaba mencionando meu patrão, que aparentemente estava num dia péssimo de humor. Joguei a mochila em cima do sofá e mandei a Dilma pro inferno e resolvi: “Vou voltar pra minha cama, é o melhor a fazer”.
E voltei mesmo.
Me despi, deitei, me apossei do controle remoto e deixei umas besteiras saudáveis ao alcance das mãos, caso batesse uma fome. Foi quando o telefone fixo tocou e eu fiz a besteira de atender.
Era minha mãe, que brigou comigo, me xingou algumas vezes e me fez levantar, correndo.
Fui trabalhar, e sabe, meu sexto sentido estava certo, tive um péssimo dia. Mas ao menos descobri que minha mãe sempre liga no meu fixo antes de me ligar no celular pela manhã.




Gill Nascimento





Pode ser que você também se identifique com esses textos, chega mais!


 Desabafo  Tá Complicado  Poréns

2 comentários:

  1. A situação está tão precária, que eu tenho acordado com um pé atrás todos os dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o país está levantando todo dia com o pé esquerdo e acho que isso tem afetado o rendimento dos nossos pensamentos positivos kkkkkk

      Excluir

Deixe sua opinião sobre esse texto!