O dia em que fui abordado por Testemunhas de Jeová!

O dia em que fui abordado por Testemunhas de Jeová!

Alguns dias atrás saí para correr pela manhã, e quando voltei me deparei com pessoas que conseguem, às vezes, serem mais ignoradas que os termos de adesão de contratos de aplicativos e a pergunta “Você tem mais de 18 anos?” em sites pornô, me deparei em meu portão com duas Testemunhas de Jeová.
Já deixo claro que nada tenho contra a religião e nem contra seus membros, só tenho problemas mesmo com quem toca minha campainha, tenta me falar de política ou de religião antes das 9 horas da manhã.
O meu problema que, me colocando no lugar dessas pessoas, imagino eu, é que devo ser mais chato que quem geralmente as ignora, pois ao contrário, eu não ignoro, apenas respondo com piadas e sarcasmo, depende do caso,  nessa ocasião meu humor estava em alta.
Assim que cheguei ao meu portão e dei de cara com as duas Testemunhas, prontamente ouvi a pergunta se eu tinha um tempinho para ouvir a palavra de Deus, nisso respondi:
“Claro, onde ele está? A gente pode entrar e eu faço um café fresquinho!”
Essa primeira piadinha não os magoou, eles até riram, e começaram a falar vendo que eu estava de bom humor, e claro, eu permiti, afinal, nunca me satisfaço com uma piada apenas. Voltei a falar quando me fizeram a segunda pergunta, se eu gostaria que Jesus me salvasse, e por essa eu já esperava:
“Mas gente, eu nem sabia que eu estava em perigo, não vamos incomodar Jesus, ele deve ser ocupado, vou ligar para a polícia!”
Mais uma vez riram com um bom humor inacreditável, e continuaram, deixando bem claro que se referiam à minha alma. A próxima piada veio quando eles perguntaram se eu sabia que um lugar melhor esperava por mim:
“Agora ficou interessante, se for fora do Brasil, eu topo. Eu ouvi as palavras ‘Green Card’?”
Me surpreendi novamente com o bom humor de ambos, que riram e garantiram que meu visto já estava pré aprovado para esse lugar, que eu só precisava fazer por merecer. A quarta piada veio quando me perguntaram o que eu tenho feito da minha vida para merecer o paraíso:
“Olha, posso não ser um filho de Deus que se destaca por aquilo que faz de bom no mundo, mas garanto que também não me destaco por aquilo que faço de mau. Vocês conversam muito com ‘Ele’? Estão sabendo de alguma coisa?”
Riram mais nessa por ter sido menos sarcástica, e explicaram do jeito deles ao que se referiam. Não pude resistir quando me perguntaram se eu ultimamente tinha tirado um tempinho para me dedicar a obra de Deus:
“Olha, não entendo muito dessas coisas, mas não teria problemas e nem preguiça de arregaçar as mangas e bancar o servente de pedreiro, basta me dizerem onde é a construção!”
Nessa já deu para perceber que eles não gostaram muito, acho que porque também estava óbvio que eu estava me divertindo, então tornei minhas piadas mais esparsas durante a conversa, mas não as abandonei, claro, e também tentei não ofendê-los, e acho que consegui.
No final, eles me agradeceram pela atenção, disseram que eu fui muito simpático, mas lamentaram o fato de eu não levar muito a sério a palavra de Deus, e pra essa eu até tinha algumas piadas, mas preferi falar sério, para ver se eles entendiam um pouco o problema da abordagem, não deles dois em questão, mas de muitos dos seus companheiros:
“Bem, vocês dizem que eu não levo a sério a palavra de Deus, mas levo, que eu saiba o que vocês chamam de  “A palavra de Deus” é aquilo que vocês aprenderam lendo a Bíblia, algo que já fiz duas vezes, além de ter frequentado uma igreja evangélica até meus 14 anos, e não parei de ir porque não acreditava, parei de ir porque aprendi que a Bíblia ensina que temos que ser boas pessoas, ter fé, acreditar em Deus e não fazer o mal, basicamente, e que eu não precisava de uma doutrina rígida para isso, mas ainda hoje, ao menos uma vez por mês vou ao culto de domingo acompanhando a minha mãe, e me sinto bem lá, sabe porquê? Porque lá todos me conhecem, sabem a pessoa que eu sou mesmo sem ir diariamente, ou semanalmente, à igreja deles, e ainda assim não dizem que a minha forma de pensar é errada, e que eu não vou para o paraíso por não frequentar a igreja deles. E sabe porquê eles são assim? Porque eles leram o trecho da Bíblia que diz que igreja está dentro de cada um de nós!”
Por incrível que pareça consegui deixá-los sem respostas, e até concordaram com meu jeito de pensar, foram embora me agradecendo pela atenção e o melhor, sem tentar me vender aquelas revistas com fotos bonitas que dão vontade de colocar de papel de parede no Desktop do notebook.






Gill Nascimento






Logo logo teremos novidade aqui no Blog, e você que está lendo esse texto e acompanha esse Blog que na maioria das vezes não diz nada com nada, pode fazer parte, CLIQUE AQUI para saber mais!





Um comentário:

  1. Ri bastante no início, e gostei bastante da sua resposta no final, penso muito igual sobre o assunto, ótimo texto meus parabéns

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião sobre esse texto!

Casuísmo no Instagram