Vida de casado


Uma leitora do Blog pediu que eu escrevesse um texto falando sobre como é a vida de casado, e eu na hora pensei: “Olha aí, mal casei e já querem causar a minha separação”; mas o pedido de vocês é uma ordem para mim, então liguei para o meu advogado e pedi para ele já ficar preparado, e vamos lá…


Vida de casado!



Quando eu tinha 10 anos fui ao casamento do meu tio, e ele durante a festa fez um discurso particular para os amigos mais íntimos, que dizia: “Hoje é o dia em que minha vida mudou, mas eu não vou mudar, vou continuar exatamente o mesmo, serei um homem de uma mulher só, mas continuarei sendo o mesmo amigo que sempre fui, continuarei com as peladas no final de semana, continuarei com as cervejinhas ocasionais, com os campeonatos de vídeo game, mudou o conteúdo, mas não mudará a essência, a única coisa que mudará é que agora minha esposa estará comigo sempre que possível, vocês não vão perder um amigo, mas sim vão ganhar uma amiga!”.
Após esse discurso ele esperou alguns segundos para que todos absorvessem tudo que ele disse, e então caiu na gargalhada e completou: “Estou brincando, pessoal, só peço que nunca se esqueçam de mim e que lamentem a minha partida!”.
Será assim mesmo o casamento? Uma castração social?
Eu discordo completamente, tudo é questão de ser desde o início a pessoa que realmente é, e deixar claro que não vai mudar devido a relação, se adaptar, talvez, mudar jamais, porque na minha opinião sentimentos verdadeiros são baseados nisso, em amar aquilo que conheceu, e não transformar a pessoa naquilo que ama.
Dentro da minha família mesmo existe um caso assim, em que a pessoa mudou completamente a partir do momento que passaram a morar debaixo do mesmo teto, começou a querer que sua companhia fosse outra pessoa, totalmente diferente da que era antes disso, não houve concessões, ou adaptações, apenas mutação e transformação, quis moldar a pessoa da forma que achava ideal.
Isso sim é uma receita para um enorme fracasso, porque só um lado vai ficar feliz, o outro com certeza não.
Bem, eu casei, mas já vinha morando junto há um tempo, e não mudei em nada, e nem precisei deixar claro que seria assim, porque minha esposa mesmo afirmou ter se apaixonado pela pessoa que eu era, assim como eu me apaixonei pela mulher que conheci e não queria nada diferente disso. Claro que todos nós mudamos com o tempo, mas mudanças graduais, e esse tipo de mudança facilita muito a adaptação, ao ponto de nem percebermos enquanto ela ocorre.
Apesar disso, uma outra seguidora perguntou quais eram meus pensamentos enquanto o padre fazia a famosa pergunta e decretava minha sentença, e a verdade é que eu só conseguia pensar: "Será que não me acostumei demais com a liberdade? Será que vou conseguir acasalar em cativeiro?".
No entanto, claro que o casamento exige uma adaptação imediata, afinal, passamos a ter alguém ao nosso lado, e muitas das coisas que eram feitas quando éramos sozinhos, precisam ser deixadas de lado. E essa é a parte um pouco difícil.
Eu nunca fui de deixar toalha molhada em cima da cama, ou deixar a tampa da privada levantada, ou mesmo beber água gelada direto da garrafa, mas tenho, ou melhor, tinha, minhas manias, e tive que abrir mão de muitas.
Eu tinha a mania de ficar surdo enquanto lia, agora não posso mais, porque quem é casado sabe, não prestar atenção ao que a esposa diz pode ser um grande problema. Outra coisa que tive que mudar é que agora eu tenho que vestir roupas quando estou em casa, e nem é pelo fato de a mulher ter algo contra eu ficar pelado, mas sim porque para ela existe momento certo e cômodo adequado para isso.
Meu falecido avô costumava citar com bastante frequência uma frase semelhante a de Texas Guinan sempre que o assunto era casamento, ele dizia que não achava que o casamento fosse algo ruim, apenas que era levar o amor um pouco longe demais. Espero não chegar ao ponto de ter que concordar com ele.
O principal num casamento é ter consciência de que você não é mais uma pessoa só, e sim duas, que juntas devem ser uma só, mas não deixa de ser duas pessoas, que devem compartilhar uma vida, compartilhar planos, compartilhar ideais, compartilhar sonhos, devem tomar decisões juntos, na verdade a mulher deve deixar o homem acreditar que participou da decisão, e o homem, mesmo sabendo que não, deve se sentir feliz por isso. Estar ciente disso já é meio caminho andado para o sucesso de uma relação.
Um dia desses a Ayla e eu conversávamos sobre uma decisão que precisávamos tomar, e ela não conseguia chegar a uma conclusão, pois ainda tinha algumas dúvidas, então num certo momento ela disse que eu poderia fazer o que achava melhor, e que confiava em mim para tomar a decisão sozinho. Me senti o homem mais poderoso do mundo, mas prefiro prudência à poder, então falei que a gente não precisava ter pressa e que ela poderia pensar mais no assunto. Vai que minha escolha não fosse a ideal, eu preferi mil vezes deixar a decisão por conta dela e ficar com a metade da culpa caso fosse a errada, do que assumir tudo por tomar a decisão sozinho.
Certa vez comentei com meu pai sobre uma pesquisa que dizia que homens casados vivem mais tempo, e ele respondeu que apesar de não acreditar em pesquisas, nessa ele acreditava, segundo ele isso era um pequeno benefício divino, pois se homens casados não vivessem mais, não teriam todo o tempo que é necessário para poderem reclamar da vida de casado. Queria não ter motivos pra concordar com ele, mas tenho, pois já fui casado, e apesar de não ter durado muito tempo, reclamo da minha ex mulher até hoje.
E como esquecer da expressão que mais passa a fazer parte da nossa vida? Depois de casado é muito comum antes de qualquer frase, seja ela um pedido ou uma afirmação, vir as palavras “a gente”. “A gente precisa disso”, “A gente deveria fazer aquilo”, “A gente tem que ir em tal lugar”, e assim por diante. Quando na maioria das vezes a gente não quer, não precisa e a gente não têm que fazer nada, mas quem é louco de discordar?
Qualquer dia desses vou inverter a situação pra ver como será, chegar e dizer algo do tipo: “A gente precisa de um Play Station 4”, ou “A gente precisa muito de um porre hoje com meus amigos”.
Apesar que eu acho que o porre ela até que toparia mesmo.
Mas tem também vantagens no casamento, como o fato de passarmos a ter alguém com quem dividir as tarefas domésticas. Aqui em casa, por exemplo, dividimos todas, meio que fizemos uma escala para as tarefas, cada um tem seu dia de fazer determinado trabalho, num dia eu faço, no outro ela inventa alguma desculpa para não fazer e aí eu, como um bom marido, vou lá e faço novamente.
Outra parte importante do casamento é que a gente não ganha apenas uma esposa, mas também ganha outra família, a dela, dei a sorte de ganhar sogros maravilhosos e de não ter cunhados por ela ser filha única, mas ainda não conheci toda a família dela, então não vou me iludir esperando um mar de rosas. E já deu para ter uma certa noção do que virá pela frente, pois minha sogra me adicionou ao Grupo da Família no Whatsapp.
Eu tenho um amigo que casou e é o homem, nessa situação, mais feliz que conheço, segundo ele a esposa é completamente independente e ama ter seu próprio espaço, claro que não tenho nada contra a situação contrária, afinal como já disse, o casamento é duas pessoas passarem a ser uma só, mas tem certas coisas que a gente não quer fazer, e ter  uma companheira que adora companhia pra tudo pode ser ruim  nessa parte.
A minha por exemplo, odeia fazer as coisas sozinha. Mesmo amando acompanhá-la na maioria das vezes, tem horas que fica difícil disfarçar o descontentamento, na verdade nem consigo, e ela nem tenta disfarçar a satisfação que sente ao me ver incomodado, e dois bons exemplos são quando ela se aproxima com a voz mansa e diz: “A gente precisa assistir esse filme de terror”, e “A gente não pode perder a novela hoje”.
Outro amigo meu costuma dizer que os homens solteiros entendem mais as mulheres, porque se não fosse assim também estariam casados. Eu até concordo com isso, mas não posso fazer nada, pois sou do tipo que gosta de aprender na prática.
A verdade é que se eu for fazer aqui piadas sobre tudo que tenho a dizer sobre a vida de casado, faria uma série de textos com várias temporadas, Spin-off, Crossovers, e tudo mais que garantiria textos para esse Blog por anos, mas melhor guardar um pouco de piadas para depois.
Mas fica um conselho pra quem pretende se casar: Vai no trem da fé, mas se segura no balaústre da coragem, a viagem é boa, mas é turbulenta.





Gill Nascimento






Logo logo teremos novidade aqui no Blog, e você que está lendo esse texto e acompanha esse Blog que na maioria das vezes não diz nada com nada, pode fazer parte, CLIQUE AQUI para saber mais!





4 comentários:

  1. Como Sempre, um texto maravilhoso! Eu sou casa há 10 anos e amo a vida de casada, creio que meu marido tb kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. "Será que vou conseguir acasalar em cativeiro?" Kkkkkkkkkkkkkkk melhor pergunta a se fazer antes de casar

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto.. é vida difícil mais prazerosa! :)

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião sobre esse texto!

Casuísmo no Instagram