A Evolução das Manias

A Evolução das Manias


Eu sei que vocês já notaram que eu gosto de escrever sobre minhas loucuras aqui, mas acreditem, não tento promovê-las, apenas gosto quando aparecem comentários de pessoas que se identificam e possuem as mesmas manias loucas que eu.
Com muitos comentários nesse Blog, e também pelo Blog antigo que fez bastante sucesso, já estou psicologicamente mais tranquilo, pois sei que se eu for parar num sanatório, encontrarei muita gente legal e de bom gosto por lá. (risos)
Ontem estava escrevendo um texto à pedido de um amigo, um dos poucos a ler a página de descrição do Blog, um dos primeiros aqui no Blog a me sugerir ou pedir um texto sobre um determinado tema. Enquanto escrevia, comecei a pensar na minha própria evolução, de minha infância até o presente momento, e cheguei a conclusão de que apenas troquei as minhas manias e as minhas preferências, e que continuo sendo como quando era criança.
Minhas manias e loucuras evoluíram e amadureceram comigo.
Lembro que quando era um pirralho, e andava com os joelhos ralados e descalço pelas ruas do meu antigo bairro, tinha fraquezas por sons específicos.
Um bom exemplo é que não conseguia ouvir um amiguinho gritar chamando pra uma “pelada”. Cresci. Continuo com a mesma mania, mas ela evoluiu comigo, e agora as tão amadas “peladas” deram lugar para as “geladas”.
Lembro que quando era criança não podia ouvir a música de abertura dos Cavaleiros do Zodíaco, eu corria pra sala e sentava no sofá, até meus pais respeitavam esse horário e diziam que era meu. Essa mania também evoluiu, agora não posso ouvir a abertura das minhas séries prediletas, me jogo no sofá como uma criança e só levanto quando acaba.
Outro som que foi marcante em minha infância e que também evoluiu comigo, foi o som do despertador, lembro que sempre que ele despertava pra eu poder levantar e me arrumar pra ir pra escola, eu enfiava a cabeça debaixo dos travesseiros e começava a choramingar que não queria levantar. Faço isso até hoje. A diferença é que hoje em dia ele toca pra eu ir trabalhar.
Quando era mais novo, o som da voz da minha mãe, gritando no portão de casa e contando de 1 à 10, ameaçadoramente, me fazia voltar pra casa correndo. Hoje isso ainda funciona, mas também evoluiu, hoje em dia ela me liga nos sábados à noite, perguntando onde estou e se estou bebendo, e se a resposta não agradar, ela ameaça ir passar uns dias na minha casa, e é nessa hora em que eu vou embora.
Quando era moleque, não podia escutar o barulho de uma garrafa de refrigerante sendo aberta, eu corria na direção do som, como o animal preso que corre na direção da liberdade. Esse som também evoluiu. Hoje em dia não posso escutar o som de uma rolha sendo sacada, já vou logo verificar se é vinho que está sendo servido.
Já adolescente, o som que me hipnotizada era a voz da minha irmã, na época uma bebê de 2 à 3 anos, e era, e ainda é, minha paixão, hoje em dia são as minhas filhas que possuem esse poder.
A gente cresce, e tudo evolui com a gente, tenho medo de descobrir que minhas loucuras vieram evoluindo da minha infância para cá.
Ou será que sou eu que não amadureci tanto assim?






Gill Nascimento






Logo logo teremos novidade aqui no Blog, e você que está lendo esse texto e acompanha esse Blog que na maioria das vezes não diz nada com nada, pode fazer parte, CLIQUE AQUI para saber mais!





Um comentário:

  1. Eu ainda sou meio criança pq minhas manias são quase todas as mesmas hahahaha

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião sobre esse texto!

Casuísmo no Instagram